segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Como é ser atingido por um raio: testemunho em primeira mão

Um trovão rugiu através de um lago no estado americano da Califórnia, seguido de um raio que passou por um tronco de árvore antes de atingir um pai e seus dois filhos.
O vídeo abaixo mostra o momento em que o relâmpago caiu, e que um campista percebeu que ele havia atingido pessoas.

O evento ocorreu no início deste mês, dia 3, no lago Jennie, próximo ao Parque Nacional da Sequoia, nos EUA.
Os campistas que assistiram o incidente correram para ajudar a família.

O horror

Chris Lovera e seus filhos, o garoto Aidan, de 12 anos, e a menina Nadia, de 9, estavam pescando e buscaram abrigo sob as árvores quando a tempestade começou.
“Nós fomos atingidos na beira do lago, cada um de nós canalizando várias quantidades do raio que atingiu a árvore nas nossas costas, e eu e Aidan na cabeça, atrás de nossas orelhas esquerdas, passando por e através de nossos corpos, até que causou contato explosivo com o chão”, relatou Chris mais tarde, em sua página do Facebook.
Apesar das queimaduras severas, tímpanos estourados e muito sangue, em semiconsciência, as crianças conseguiram se arrastar sozinhas para a segurança, o que deixou Chris muito orgulhoso.
“Os gritos de Aidan me trouxeram à consciência, desorientado ao ver o sangue à esquerda da sua cabeça, e o sangue e as queimaduras que escorriam pelo meu corpo, e o trauma de ver Nadia virada para baixo acima da colina, todos nós em severo choque. Minhas roupas haviam sido trituradas, queimadas e fundidas em partes do meu corpo, e eu não conseguia me mover”, descreve em detalhes Chris.

Momentos antes

Quando a tempestade iniciou, a família guardou seus aparatos de pesca e se refugiou sob as árvores.
Aidan estava ao lado de Chris, e Nadia em seu colo. O pai começou a filmar um vídeo, mostrando o clima ruim que os cercava. “Eu não gostaria de estar lá”, disse uma das crianças, referindo-se ao lago. “Eu também não gostaria de ser um peixe agora”.
Chris então virou a câmera, saindo da paisagem para mostrá-lo com seus filhos. “Que rostos são esses?”, perguntou a eles, rindo. “Não são os rostos de campistas felizes ou mochileiros felizes agora”.
Os três assistiram o vídeo, e então Chris colocou o celular no bolso de sua camisa. “É nesse ponto que fomos atingidos”, contou Chris em uma entrevista ao The Washington Post. “Todos nós perdemos a consciência, e cada um teve uma visão diferente quando acordamos”.
Nadia acordou primeiro, e começou a arrastar-se com os braços porque suas pernas não reagiam. Então, ela desmaiou novamente, batendo a cabeça em uma rocha.
Quando Aidan começou a se mexer, notou que seu pai sofreu os ferimentos mais graves, vendo suas roupas rasgadas e a pele vermelha e enegrecida. “Eu pensei que ele estava morto”, disse o garoto à CBS San Francisco.
Embora Chris tenha dito que não se lembra, seus filhos afirmaram que, em algum momento, ele os instruiu a tentar se protegerem.

Um raio não cai duas vezes

As chances de uma pessoa ser atingida por um raio na sua vida são de cerca de 1 em 13.000, e as chances de ser afetada por alguém atingido são de cerca de 1 em 1.350, de acordo com dados do National Weather Service dos EUA. No entanto, apenas cerca de 10% dos atingidos morrem.
Após o incidente, Chris publicou fotos gráficas no seu Facebook, mostrando seus ferimentos e queimaduras de primeiro e segundo grau.
No início, o biólogo marinho de 51 anos não sentia nada de seus ombros para baixo. De acordo com os médicos, ele provavelmente sofreu uma forma de paralisia temporária que pode ocorrer em seguida a um acidente como esse.
As crianças sofreram queimaduras menos severas e tinham feridas de saída em seus pés. Todos os três tiveram ruptura de tímpano, mas a de Nadia foi menos grave e já cicatrizou. A garota foi protegida por estar no colo de seu pai.

Bons samaritanos

Chris agradeceu muito a ajuda dos campistas que os socorreram, afirmando que ele e seus filhos estão vivos “por causa da bravura comum e desinteressada de tantas pessoas maravilhosas”.
O pessoal que fez o vídeo do raio correu para a cena, auxiliando as crianças antes de voltar para cuidar dele. Como Chris não conseguia se mover, os campistas arrumaram uma lona e o carregaram para uma área mais segura, onde o mantiveram coberto e o tranquilizaram de que seus filhos estavam seguros.
Quando começou a recuperar a sensação em seu corpo, Chris sentiu muita dor e uma queimação intensa, e ficou preocupado de que estivesse sangrando internamente. Os campistas examinaram seu corpo, e não saíram do seu lado até que um helicóptero da Patrulha da Rodovia da Califórnia levou a família toda para o hospital.
“Era uma situação horrível e é incrível pensar em todas essas pessoas, o quão extraordinário foi que elas encararam essa cena”, disse Chris. Ele se sente “realmente sortudo de estar num mundo com pessoas assim”. [ScienceAlert]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Back To Top